sábado, 20 de janeiro de 2018

Entrevista com autora de O Diário de Afrodite

Foto livro físico O Diário de Afrodite da autora Helena Leen

As expectativas para 2018 estão cada vez melhores e a postagem de hoje é apenas um indício disso... É com grande alegria que publico a primeira entrevista do blog. Agradeço a autora de O Diário de Afrodite, Helena Leen, por conceder essa honra.

Para quem passou as férias longe da blogosfera literária, em dezembro, Helena Leen lançou um romance juvenil chamado O Diário de Afrodite e a pré-venda foi sucesso total. Por sorte, você pode adquirir um exemplar impresso no blog da autora – www.helenaleen.com (um dos últimos livros da pré-venda) com direito a autógrafo e mimos – ou pela Livraria Ixtlan. Após ler o prólogo, que deixou uma ótima primeira impressão, adquiri o meu e estou aguardando ansioso.

Conversar com a Leen foi muito interessante, principalmente ver sua paixão nas palavras. Já a admirava desde o Wattpad e fiquei muito feliz por conhecê-la. Confira o que ela contou sobre sua carreira e hobbys durante a entrevista.

Autora Helena Leen de O Diário de Afrodite

Como iniciou sua paixão pela escrita?

Sempre fui uma menina muito tímida, uma timidez um tanto quanto peculiar, mas ainda assim tímida. Era como se dentro de mim existisse outra Helena gritando para sair. E escrever foi a forma que encontrei para por essa outra Helena para fora.

Imagino que você começou a escrever muito cedo, me fale sobre isso.

Eu sempre curti escrever, comecei com 3 anos de idade. Minha primeira palavra foi “ET”... Escrevi “ET”, desenhei um bichinho e apontei para o céu. Minha mãe ficou bem surpresa [risos]. Depois, aos 5 anos de idade, eu já lia e escrevia praticamente tudo, ensaiava alguns pequenos textos, poemas e letras de músicas.

Com 12 anos, escrevi meu primeiro romance, intitulado “Moça de Fazenda”. Aquela foi uma primeira versão, pretendo lançar ele novamente mais atualizado. Afinal, eu era muito menina, algumas coisas não fazem mais sentido para mim, precisam ser mudadas.

“O diário de Afrodite” você também escreveu na adolescência, correto?

Sim. A primeira versão do Diário realmente escrevi na adolescência, bem no comecinho. De lá para cá fui modificando e, por fim, depois que encontrei a Bia (Beatriz dos Anjos) reconstruímos o perfil de Afrodite e finalizamos essa versão atualizada.

E por que só recentemente, em 2017, você decidiu apresentar ao mundo essas histórias?

Porque acredito que agora alcancei um bom nível de maturidade, me sinto pronta. Antes eu era apenas uma garota sonhadora que jogava todas as emoções no papel, agora eu consigo passar uma mensagem com meus escritos. Antes eu escrevia para me entender, agora eu me entendo muito bem e quero que o mundo entenda também.

Tive a oportunidade de ler alguns textos seus e percebi que as personagens principais são gordinhas. Há algum motivo para a escolha desse tipo físico?

Sempre fui uma menina muito frágil, meus pais me protegiam demais. Não costumava sair com meus poucos amigos e minhas maiores aventuras eram no quintal de casa. Era tímida, como já mencionei, e passava por cada situação na escola. E, quando cresci, só piorou. Mas não era por eu ser gordinha, pois haviam meninas gordas e descoladas.

Ser gordinha virou uma espécie de desculpa para mim, eu me escondia atrás do estigma de menina gorda e incompreendida. O que na verdade nunca foi um exagero, porque vim de uma geração que não aceitava as diferenças, as pessoas pegavam pesado mesmo. Eu fui muito maltratada na escola, os próprios professores mesmo não concordando com as atitudes dos colegas, preferiam se calar, não compravam briga com uma turma de 30, 40 alunos para me defender. Com o tempo, eu fui gostando da posição de vítima e acabei usando todo aquela hostilidade a meu favor, me transformando em uma garota forte e empoderada.

Demorou um tempo para que eu me livrasse daquele pensamento, do comportamento de vítima como meio de sobrevivência naquela selva que a escola foi para mim. Mas passou, hoje eu não preciso disso. Hoje, imponho respeito justamente aceitando e me orgulhando de quem eu sou. Por isso, minhas personagens geralmente são gordinhas, porque somos maravilhosas, assim como as magrinhas, as altas, as baixinhas e todas as mulheres independente de tipo físico. Somos agraciadas por um toque divino a mais e é isso que eu quero passar.

Qual o seu Top 3 livros que indica? Por quê?

Meus livros preferidos, meu TOP 3... Não nessa ordem, pois são de tempos diferentes (de momentos diferentes na minha vida), são:

A Mulher que Escreveu a Bíblia, do grande Moacyr Scliar. Que tive o prazer de conhecer, de estar em algumas palestras dele. Era um cara incrível.

Joana, a Gorda (Concita Pedrinha). Esse livro não é muito comentado, mas é um livro incrível. Conta a história de uma menina gorda que passa por algumas situações que a fazem querer mudar. Não concordo com a história. Eu não vou dar spoiler, mas o enredo me incomodou um pouco. Mesmo assim, me identifiquei com muita coisa e se tornou um dos meus livros preferidos.

A Maldição do Tigre (Collen Houck). Meu livro preferido da atualidade, que não é só um livro, é uma saga composta por 5 livros. O sexto está vindo por aí. Eu amo D+, sou viciada mesmo.

Há tantos livros se tornando filmes, não consigo imaginar alguém que goste apenas de uma dessas formas de entretenimento. Então, por favor, nos indique alguns filmes e séries.

Gosto muito de filmes, mas não tem muitas séries que acompanho. Pois não tenho muita paciência para acompanhar e sofrer esperando a próxima temporada. Sou da geração que esperou séculos para entender o segredo do Lost e confesso que ainda não entendi aquele último capítulo.

Ultimamente acompanho Stranger Things, porque tem tudo a ver com a minha infância. Me vejo ali com meus amigos. É demais e emocionante para mim. A todo instante vejo eu, o Lucas (irmão de coração) e a Tais (melhor amiga da infância) naquela turma. Posso assistir 10 vezes, que sempre vou sentir como se estivesse ali.

Outra série que acompanho é Guilt, não que eu goste de suspense policial. É que gosto do Billy Zane que é o meu ator favorito, um dos grandes amores da minha vida [falou Leen suspirando]. Então, qualquer oportunidade de assisti-lo atuando, eu não perco.

E indico os meus filmes preferidos, que são:
  • Titanic – Para sempreeee;
  • O Senhor dos Anéis – Gosto muito e aprendi bastante com esse filme;
  • Harry Potter – Sou fã do Potter. Amo/bebo aqueles livros e os filmes até hoje. Fiz questão que a minha filha assistisse todos. Harry Potter é bagagem para vida toda;
  • O Fantasma da Ópera – Principalmente essa última versão. Dá uma vontade de pegar o Gerard Butler, dar um beijo e dizer “Ei, relaxa. Vai ficar tudo bem”;
  • O Homem da Máscara de Ferro – Um dos meus filmes preferidos. Amo todas as versões dele;
  • Crepúsculo – Não poderia faltar nessa lista.

Falando sobre gosto musical, o que Helena leen escuta?

Ah, meu gosto é bem variado. Gosto do que é bom. Pode ser uma moda de viola, um sertanejo universitário, como também pode ser um rock clássico, um pop rock. Costumo dizer que música boa é aquela que toca na hora certa.

Eu também curto música clássica, Opera, pop Opera... Inclusive, o que mais tenho escutado é um trio italiano chamado Il Volo.

Que dicas você daria para quem está começando a escrever um livro?

Esquece o retorno financeiro, não pense nele. O que um autor deveria querer realmente é que seu trabalho seja conhecido e reconhecido. A questão financeira é algo que vem automaticamente.

Se fizer algo que gosta com foco, amor e paixão, você será recompensado. Mas, a princípio, o que você pode querer de melhor é que as pessoas leiam seus livros e conheçam suas histórias.

E para terminar nossa entrevista, nos fale o que vem por aí, novidades, outros livros.

A continuação de “O diário de Afrodite” que já está no forno, o Livro 2 “Afrodite e os deuses perdidos” (título ainda pode mudar).

Meu próximo livro de trabalho é “Um indiano em minha vida”, que já tem uma pequena degustação no Wattpad. E a continuação da história de William e Bibiana (casal do "A gordinha do curso de verão"), que ganhará uma versão física em alguns meses. Por enquanto, ele se encontra disponível na Amazon.

Ainda este ano, “O diário de Afrodite” estará disponível em inglês. E penso em uma versão atualizada do meu segundo livro chamado A Escolhida.

Pelo visto, trabalho para 2018 não vai faltar. Agradeço imensamente por disponibilizar um pouco do seu tempo. Realmente foi uma honra te conhecer e descobrir mais sobre a pessoa incrível que é Helena Leen. Passei a te admirar mais ainda. Desejo a você muito sucesso e espero ter a chance de interagirmos novamente, mesmo que seja em uma "Tag".

Eu que agradeço pelo carinho que você tem com o meu trabalho.

Siga a autora em suas redes sociais para interagir com ela: Página da Helena Leen, Página do Livro, Blog Pessoal, Instagram e Twitter.

11 comentários:

  1. Eu acho muito relevante este tipo de lostage, pois abrange pessoas renomadas que ja trilhou o caminho em que estamos iniciando.Além de é claro os gostos e o que mais a influenciou para que tenham o um parâmetro.

    ResponderExcluir
  2. Desse top 3 dela, tenho vontade de ler A Maldição do Tigre, faz um tempo q qro e nunca comecei a ler, acho q vou comprar!

    ResponderExcluir
  3. Adorei a entrevista, consegui me identificar bastante com as algumas situações. E ela tem um ótimo gosto, qualquer pessoa que seja fã de HP, é legal.

    http://blogalertadespoiler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Muito bom , o livro parece ser bem legal você poderia fazer uma resenha dele pra gente né?

    Ah é a entrevista ficou ótima, muito sucesso e que venham muitas mais entrevistas��

    ResponderExcluir
  5. Muito bom , o livro parece ser bem legal você poderia fazer uma resenha dele pra gente né?

    Ah é a entrevista ficou ótima, muito sucesso e que venham muitas mais entrevistas, que vocês crescam cada vez mais <3

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem?

    Já tinha lido a resenha do livro da autora e ficado muito interessada, mas ao conhecer a autora a vontade de ler a obra triplicou. Acho muito interessante ela falar do quanto era "protegida" pelos seus pais e como se escondia em seus pesos a mais e saber que ela escreve personagens gordinhas é muito bom. Eu adorei a entrevista e adorei conhecê-la, só tenho que desejar muito sucesso a ela.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Olá
    Que entrevista mais bacana, eu não conhecia a autora, e deu para perceber que ela é uma pessoa bem simpática e que ama muito a escrita.
    Me identifique bastante com a fala dela sobre música, também sou bem assim

    ResponderExcluir
  8. Oi Samuel, tudo bem? É tão bom quando conhecemos talentos nacionais e divulgamos suas obras. O mercado brasileiro tem crescido muito nos últimos anos. Em alguns momentos é até difícil acompanhar tantas obras ao mesmo tempo. Não conhecia essa autora mas as perguntas foram bem pertinentes. Achei legal ela gostar de Titanic e Harry Potter. Beijos, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Adoro ler entrevistas com escritores. É muito interessante conhecer um pouco mais sobre eles, sua história, suas inspirações.

    ResponderExcluir
  10. Oi Samuel, tudo bem? Eu adoro saber mais do escritor por meio das entrevistas adorei as suas perguntas e as respostas cheias de carinho da Helena.
    xoxox

    ResponderExcluir
  11. Oii, tudo bem?
    Eu ainda não conhecia a autora ou os livros dela, mas achei ela um amor e super me identifiquei com algumas respostas. Com certeza O Diario de Afrodite esta na listinha e eu tambem vou ficar de olho no trabalho da autora.

    ResponderExcluir

Por que blogar?

Chega um momento na vida em que devemos deixar nossa marca... Chega um momento em que cansamos de nos esconder: Queremos ganhar o mérito que nos pertence. Aqui, neste blog, divulgo o que gosto e os meus projetos pessoais. Espero que goste, que volte mais vezes e compartilhe com seus amigos. Me siga nas redes sociais: Abaixo algumas delas.



Comentários

Contate-nos

Nome

E-mail *

Mensagem *